Quais os cuidados que o cirurgião dentista deve ter durante o atendimento a pacientes epilépticos?

Os cuidados durante o tratamento odontológico aos pacientes epilépticos são:

* Realizar anamnese detalhada para identificar questões fundamentais quanto à epilepsia e assim conhecer a terapia medicamentosa utilizada pelo paciente para evitar interações indesejáveis com os fármacos prescritos na prática odontológica (1,2); * Evitar estímulos desencadeantes da crise, por exemplo, ruídos, a luz do refletor direcionada aos olhos do paciente, a contenção mecânica por meio do medo podem desencadear crises (1,2, 3); * Assegurar-se de que o controle médico/medicamentoso é feito e observado rigorosamente (3); * Enfatizar a prevenção e promoção em saúde bucal, motivando o paciente a realizar um controle adequado do biofilme dentário (1,2); * Eliminar os fatores irritantes ao tecido periodontal, os quais podem agravar a hiperplasia gengival medicamentosa (1,2); * Adotar medidas de segurança a fim de evitar aspiração de instrumentos e/ou materiais odontológicos durante o ataque, devido ao risco do paciente desencadear uma crise epiléptica no consultório odontológico (2); * Evitar próteses parciais removíveis e restaurações provisórias, e priorizar próteses fixas, restaurações permanentemente cimentadas, implantes e aparelhos ortodônticos fixos. Estas medidas minimizam a possibilidade de aspiração e/ou fraturas dos elementos (1,2).

Bibliografia Selecionada

1.Baumgarten A, Cancino CMH. Epilepsia e Odontologia: uma revisão da literatura. Rev. bras. odontol., Rio de Janeiro,73(3):231-6. 2016. Disponível em: http://revodonto.bvsalud.org/pdf/rbo/v73n3/a10v73n3.pdf 2.Campos CC, Frazão BB, Saddi GL, Morais LA, Ferreira MG, Setúbal PCO, Alcântara RT. Manual Prático para o Atendimento Odontológico de Pacientes com Necessidades Especiais. Universidade Federal de Goiás. 2ª edição. 2009. Disponível em: https://odonto.ufg.br/up/133/o/Manual_corrigido-.pdf 3. Varellis MLZ. O Paciente com Necessidades Especiais na Odontologia: manual prático. 2ª edição. São Paulo: Santos, 2013. 106p.