Que intervenções podem reduzir a dor durante e após aplicações injetáveis – medicamentos e vacinas?

As vacinas estão entre os produtos de maior segurança de uso. Entretanto, é possível que ocorram reações até mesmo graves, com a sua utilização. No que se refere à utilização de imunização passiva, os eventos adversos são muito mais frequentes após a aplicação de produtos de origem não-humana (soros preparados em equinos).
A hiperestesia se produz pela irritação dos terminais nervosos locais. O eritema se deve à vasodilatação reativa, que favorece a absorção, estas reações são consequência da introdução da agulha e do conteúdo vacinal no tecido muscular.
O Manual de Vigilância Epidemiológica de eventos adversos pós-vacinação recomenda compressa fria no local, nas primeiras 24-28 horas após a aplicação (nos casos de dor e reações locais intensas) para fazer vasoconstrição e assim reduzir o processo inflamatório local e consequentemente a dor local. E analgésicos se necessário.

Bibliografia Selecionada

  1. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Manual de vigilância epidemiológica de eventos adversos pós-vacinação [Internet]. 2a ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2008 [citado 2010 Jul 06]. (Série A. Manual e Normas Técnicas em Saúde). Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_pos-vacinacao.pdf Acesso em: 6 jul 2010.