Que orientações o Agente Comunitário de Saúde deve dar a um cuidador de paciente com sequela de Acidente Vascular Cerebral?

A melhor forma de se trabalhar com o cuidador de um paciente com sequela de Acidente Vascular Cerebral (AVC) deve ser construída a partir da individualização de cada caso.
Esta construção depende das necessidades, conhecimentos e crenças do paciente, do cuidador e dos profissionais de saúde. Sendo o Agente Comunitário de Saúde fundamental como elo de ligação entre paciente, família e equipe, deve sempre discutir com a equipe qual o plano de tratamento ou cuidado específico para cada paciente/cuidador.
No entanto, algumas recomendações gerais podem ser importantes para tais pacientes/cuidadores:

  • modificar fatores ambientais que coloquem o paciente em risco de queda;
  • evitar tapetes soltos, fios elétricos e cacos de ladrilho em casa e no terreno de residência do paciente
  • averiguar a presença de corrimão no banheiro e corredores;
  • averiguar a presença de iluminação adequada em casa;
  • evitar caminhos com degraus ou escadas;
  • estimular o uso de métodos auxiliares como bengalas, andadores ou protetores do quadril.
  • estimular o paciente a realizar exercícios físicos ou de fisioterapia conforme orientação médica
  • averiguar o uso correto das medicações conforme orientação médica
  • estimular a participação do cuidador em grupos específicos de cuidadores ou mesmo estar disposto a escutar de modo empático suas queixas, suas dúvidas, suas angústias e encaminhando o mesmo para acompanhamento com outros profissionais na Unidade de Saúde.

 

 

 

Bibliografia Selecionada

  1. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Coordenação Nacional de DST/AIDS.Grupo Hospitalar Conceição. Manual de assistência domiciliar na atenção primária à saúde: experiência do serviço de saúde comunitária do grupo hospitalar Conceição.[Internet]. Porto Alegre: Lopes JMC, organizador; 2003 [citado 2009 Jul 15]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/Manual_Cuidadores_Profissionais.pdf
  2. Sirena S A, Moriguchi E. Promoção e manutenção da saúde do idoso. In: Duncan B, Schmidt M I, Giugliani E. Medicina ambulatorial: condutas de atenção primária baseada em evidências. 3a ed. Porto Alegre: Artmed; 2004. p. 576-85.