Que orientações o Agente Comunitário de Saúde pode repassar aos pacientes que sofrem de fibromialgia?

Fibromialgia é uma doença crônica que causa dor por todo o corpo. Afeta os músculos, tendões e ligamentos, resultando em dores difusas, fadiga e uma sensibilidade aumentada à dor.
Qualquer pessoa pode desenvolver fibromialgia, contudo, a doença afeta mais mulheres que homens. Na maior parte dos casos ocorre entre 35 e 60 anos de idade, mas pode afetar pessoas de todas as idades, incluindo idosos e crianças.
Não existe cura para a fibromialgia e o tratamento busca o alívio dos sintomas e a melhoria da qualidade de vida. Pode ser tratada com uma combinação de medicamentos, terapias complementares e mudanças no estilo de vida.
O ACS pode ter papel importante no manejo do paciente com fibromialgia, especialmente no que diz respeito a estimular as pessoas com a doença a buscar atendimento médico e promover mudanças no seu estilo de vida, como:

  • Exercício: a fadiga é um dos principais sintomas da fibromialgia, e a pessoa com a doença frequentemente se sente muito cansada e incapaz de realizar exercício físico. Contudo, um programa de exercícios personalizado (desenvolvido em conjunto com o médico ou fisioterapeuta) pode ajudar a melhorar significativamente os sintomas, reduzindo a dor, melhorando a disposição e regularizando os padrões de sono.

O programa envolve exercícios leves, como alongamentos e exercícios na água morna (como a hidroginástica), assim como exercícios aeróbicos de baixo impacto, como caminhadas, andar de bicicleta e nadar.

  • Técnicas de relaxamento: é muito importante que a pessoa com fibromialgia reserve tempo diariamente para relaxar. O estresse pode fazer com que os sintomas piorem e pode aumentar as chances da pessoa desenvolver depressão, que é muito comum em pessoas com a doença.
  • Dieta: não existe uma dieta específica para a fibromialgia, mas a pessoa com a doença deve procurar se alimentar de forma saudável e balanceada, incluindo muitas fibras, frutas e vegetais. Evitar gordura, sal e açúcar em excesso. O álcool deve ser consumido com moderação, devendo-se também evitar café, chá, chocolates e refrigerantes.
  • A pessoa com fibromialgia freqüentemente tem dias “bons” (em que os sintomas estão mais leves) e dias “ruins” (em que os sintomas estão mais intensos). É importante que a pessoa tente manter níveis estáveis de atividade, sem nunca “passar dos limites”. É fundamental que a pessoa “escute” o seu corpo, e descanse sempre que achar necessário.

Outra dica interessante é estimular a criação na comunidade de um grupo de convivência de pessoas com fibromialgia ou que sofrem de outras dores crônicas.