Que tipo de dinâmicas e atividades lúdicas podem ser realizadas pela equipe de saúde na prevenção de queimaduras em ambiente escolar?

A escola constitui-se em espaço ideal para fortalecer a implantação, de “sementes” preventivas em relação aos acidentes com crianças e adolescentes (1). Como opções para se trabalhar a educação em saúde e reforçar a integração entre os profissionais da saúde e da educação, podem ser utilizadas diversas estratégias como dinâmicas e atividades lúdicas no ambiente escolar (2).

Um relato de experiência de ações de prevenção a queimaduras em escolas públicas de Pelotas e Rio Grande realizadas em salas de aulas, com presença dos professores das turmas e respeitando as faixas etárias das crianças. As atividades foram realizadas em três etapas: roda de conversas, atividades lúdicas e entrega de panfleto informativo (6). a)      Roda de conversas - contemplou a participação espontânea dos alunos sobre experiências prévias com queimaduras. b)     Atividades lúdicas orientadas segundo o nível de compreensão dos estudantes que receberam informações sobre prevenção e primeiros socorros de queimaduras. As crianças do pré-escolar ao primeiro ano (3 a 7 anos) pintaram imagens relacionadas a queimaduras e os estudantes do segundo ao quarto ano (8 a 12 anos) formaram frases sobre prevenção e primeiros socorros às queimaduras. c)      Entrega de panfleto informativo – com as informações discutidas com os alunos sobre prevenção e primeiros socorros às queimaduras.   Outras sugestões de atividades: Brinco, aprendo e não me acidento! Construir coletivamente recursos que desenvolvam as habilidades cognitivas por meio das habilidades motoras do recorte e da colagem na produção de painéis ilustrados com mensagens educativas (1). Desenhando os meios de prevenção dos acidentes. Identificar o conhecimento sobre os objetos causadores de acidentes e as medidas de prevenção a partir da percepção das crianças. A atividade proposta foi desenho livre com lápis de cera sobre o significado da palavra “acidente”, os objetos e os meios de prevenção (1). Gincana de talentos - Ferramenta metodológica interessante para abordar a promoção da saúde escolar utilizando elementos artísticos, culturais e lúdicos, em consonância com o projeto político-pedagógico da escola e com o planejamento da equipe de Saúde da Família (2). Talento saudável - Visita monitorada dos alunos à Unidade Básica de Saúde, onde são apresentadas aos serviços que a unidade de saúde oferece e, após isso, podem assistir a uma palestra com tema sobre saúde a ser definido, como “queimaduras”, ou participar de alguma atividade comunitária. Se realizada palestra, pode haver jogo de perguntas e respostas, cujo conteúdo seja o tema ministrado, além de outros temas escolhidos. Ao final podem ser fornecidas peças teatrais para a próxima etapa (2). As lesões por queimaduras é a terceira causa de morte acidental em todas as faixas etárias. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a queimadura é o quarto tipo de lesão mais frequente no mundo. No Brasil cerca de 1 milhão de pessoas são vítimas por ano. Sendo assim, as crianças e adolescentes também fazem parte do perfil epidemiológico das queimaduras (3,4). Dentre os desafios mais importantes da promoção da saúde na escola estão a integração de ensino e habilidades para a vida em todos os níveis escolares, a instrumentalização técnica de professores e de profissionais da APS para apoiar e fortalecer a vigilância de práticas de risco e o monitoramento e a avaliação da efetividade da iniciativa para melhorar o compromisso das escolas com a promoção da saúde de seus alunos, professores e outros membros da comunidade escolar (5).   Atributos Integralidade/Orientação Familiar e comunitária: A promoção da saúde nas escolas tem grande potencial para melhorar a saúde e o bem estar de crianças e adolescentes (5). A atividade lúdica encontra um papel educativo no desenvolvimento infantil importante na escolaridade das crianças que vão se desenvolvendo, conhecendo e construindo o mundo, das diferentes histórias de vida das crianças, dos pais e dos professores, que se torna fortalecido pela interação familiar, incorporada à escola (1).