Todas as pacientes com incontinência urinária necessitam realizar o estudo urodinâmico?

O estudo urodinâmico não está indicado para todas as pacientes com incontinência urinária e não deve ser realizado rotineiramente antes de realizar tratamento conservador.

Só deve ser solicitado quando puder modificar a escolha do tratamento, com a função de guiar a conduta. No entanto, não há evidência de que o estudo urodinâmico melhore a incontinência urinária em mulheres. Pacientes com incontinência urinária são candidatas a realizar o exame urodinâmico quando: - o tipo de incontinência urinária permanecer obscuro após anamnese e exame físico; - os sintomas da paciente não corresponder aos achados objetivos do exame físico; - houver falha no tratamento inicial (conservador ou cirúrgico); - houver necessidade de planejamento de intervenção cirúrgica. O estudo urodinâmico corresponde a um grupo de testes para avaliar a função do trato urinário inferior através da observação de vários aspectos do armazenamento e da eliminação da urina. Apesar de suas limitações, continua sendo o melhor exame na definição dos mecanismos que levam a disfunção do trato urinário inferior e assim melhorar a precisão do diagnóstico e facilitar o planejamento terapêutico. É um exame de custo relativamente elevado e não é amplamente disponível. Além disso, é um exame invasivo e traz desconforto para as pacientes.