Uma criança que não desenvolveu cicatriz de BCG deve ser revacinada?

Com base no posicionamento da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do e Comitê Técnico Assessor de Imunizações (CTAI), diante de estudos que comprovaram a eficácia do imunobiológico também em crianças que não ficaram com a cicatriz depois da vacina, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde não recomenda mais a revacinação de crianças que receberam a vacina BCG e não desenvolveram cicatriz vacinal, independente do período decorrido após a vacinação.(1)

O Ministério da Saúde, por meio da Coordenação-Geral do Programa Nacional de Imunizações (CGPNI) divulgou, em 01 de fevereiro de 2019, a Nota Informativa nº 10/2019, atualizando a recomendação sobre a repetição da vacina BCG em crianças previamente vacinadas, mas que não desenvolveram cicatriz vacinal.(1) Entretanto, o PNI enfatiza que as demais indicações da BCG estão mantidas segundo as normas do Programa.(2)

Bibliografia Selecionada

  1. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunizações. Nota Informativa nº 10/2019-CGPNI/DEVIT/SVS/MS. Atualização da recomendação sobre revacinação com BCG em crianças vacinadas que não desenvolveram cicatriz vacinal.  Disponível em: https://sbim.org.br/images/files/notas-tecnicas/nota-informativa-10-20 19-cgpni.pdf
  2. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Manual de Normas e Procedimentos para Vacinação.  Brasília: Ministério da Saúde, 2014:176p. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_procedimentos_vacinacao.pdf