A cirurgia descompressiva subacromial é mais eficaz que exercícios para síndrome do impacto do ombro?

Área Temática

Questão Clínica

Em pacientes com sintomas de síndrome do impacto do ombro (SIO), a cirurgia de descompressão subacromial é mais eficaz que artroscopia ou exercícios de fisioterapia para diminuir a dor e melhorar a função?

Resposta Baseada em Evidência

Apesar de ser umas das cirurgias ortopédicas mais comumente realizada, em pacientes com sintomas de síndrome do impacto do ombro (SIO), a cirurgia de descompressão subacromial NÃO é significativamente melhor do que a artroscopia ou exercícios de fisioterapia para diminuir a dor e melhorar a função.

Alertas

Este estudo é apoiado por uma meta-análise que encontrou os mesmo resultados (doi:10.3109/09638288.2014.907364).

Contexto

Pesquisadores Finlandeses recrutaram 210 adultos com idade entre 35 e 65 anos que possuíam alguma apresentação clínica de síndrome do impacto no ombro, que não possuíam ruptura do manguito rotador, conforme ressonância magnética, e que não responderam ao tratamento conservador[01] [LD2]  por pelo menos 3 meses. Os pacientes foram primeiramente randomizados para receber fisioterapia ou cirurgia, usando alocação oculta. Os pacientes que foram direcionados para a cirurgia passaram por uma artroscopia diagnóstica para descartar ruptura e outras patologias e na sala cirúrgica os pacientes foram randomizados para receber a descompressão subacromial ou mantidos na sala sem realizar intervenção adicional pelo período de tempo que duraria essa técnica (para manter o tipo de tratamento o qual o paciente foi submetido em segredo para todos). Após 2 anos os pacientes nos três grupos apresentaram grande melhora da dor, sendo a redução de 75 pontos para 20-30 pontos numa escala analógica visual de 100 pontos. A descompressão foi estatisticamente melhor do que a terapia com exercícios, mas o resultado não foi clinicamente relevante (uma diferença de pelo menos 15 pontos) e não foi diferente da artroscopia diagnóstica. Também não houve melhora nos escores de dor ou função do membro nas pontuações mais precoces. Os pesquisadores não tentaram estratificar os pacientes pelo grau de estreitamento das articulações ou pela presença de osteoartrite ou outra morfologia.

Comentários sobre a aplicabilidade do estudo para APS no contexto do SUS, sob o ponto de vista clínico, de gestão da saúde e para o público em geral

No SUS não são todos os municípios que dispõem de hospitais com a estrutura necessária para a realização de cirurgias ortopédicas ou de cirurgiões aptos a realizá-las; dessa forma, a realização de fisioterapia passa a ser uma alternativa mais acessível e que apresenta resultados similares clinicamente, devendo ser considerada como uma opção para os pacientes com síndrome do impacto do ombro.

Referências bibliográficas

Paavola M, Malmivaara A, Taimela S, et al, Finnish Shoulder Impingement Arthroscopy Controlled Trial (FIMPACT) Investigators: subacromial decompression versus diagnostic arthroscopy for shoulder impingement: randomised, placebo surgery controlled clinical trial. BMJ 2018;362:k2860. Disponível em: mjopen.bmj.com/content/7/5/e014087.long