O aumento das taxas de vacinação não está relacionado com o aumento de doenças não cobertas pelas vacinas

Área Temática

Questão Clínica

Várias vacinas realizadas na primeira infância enfraquecem o sistema biológico e aumentam o risco de infecções não cobertas pelas vacinas?

Resposta Baseada em Evidência

Este estudo não encontrou associação entre o risco de infecções não cobertas pelas vacinas e a exposição  máxima de vacina cumulativa ou de antígenos de um dia em crianças de 24 a 47 meses (Nível de evidência 3b).

Alertas

O encorajador resultado de não haver um aumento das taxas das doenças não cobertas pelas vacinas não deve levar ao descuido em relação aos efeitos adversos à utilização das mesmas, desde tópicos a sistêmicos.

Contexto

Alguns pais evitam ou atrasam as vacinas dos seus filhos devido à preocupação de que muitas imunizações possam enfraquecer o sistema imunológico e aumentar o risco de futuras infecções. Esse estudo contou com 193 crianças, com idade entre 24 e 47 meses, diagnosticadas com infecções não cobertas por vacinas (por exemplo, infecção respiratória inferior e superior, infecção gastrointestinal e outras infecções virais e bacterianas) hospitalizadas ou na emergência. Os casos foram pareados por idade, sexo, local de diagnóstico, etnia e estado de doença crônica em até 4 casos de controle (n=751) sem nenhum registro de internação ou idas à emergência por infecção não coberta por vacinas. A exposição ao antígeno vacinal foi estimada desde o nascimento até 23 meses para todos os casos e controle pareados. Nenhuma diferença significativa ocorreu na média estimada de exposição à vacina e as infecções cumulativa ou a antígenos de um dia entre os casos e os controles.

Comentários sobre a aplicabilidade do estudo para APS no contexto do SUS, sob o ponto de vista clínico, de gestão da saúde e para o público em geral

A hesitação de pais em cumprir o esquema vacinal existe por diversos motivos, sendo um destes o medo da queda do sistema imune para outras infecções. Os profissionais inseridos na APS podem apoiar a desmistificação do processo vacinal, a educação dos pais e a vigilância para o cumprimento da vacinação cientificamente bem embasada que estiver inserida no calendário básico vacinal.

Referências bibliográficas

Glanz JM, Newcomer SR, Daley MF, et al. Association between estimated cumulative vaccine antigen exposure through the first 23 months of life and non-vaccine-targeted infections from 24 through 47 months of age. JAMA 2018;319(9):906-913. Disponível em: https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/10.1001/jama.2018.0708