Para dores musculares agudas, qual analgésico oral fornece o melhor alívio imediato?

Área Temática

Questão Clínica

Para dores musculares agudas, qual analgésico oral fornece o melhor alívio imediato?

Resposta Baseada em Evidência

Uma dose única de analgésicos opioides fornece alívio da dor aguda semelhante a uma dose única de uma combinação de paracetamol e ibuprofeno em pacientes com dor musculoesquelética aguda no pronto atendimento. Os opioides aumentam a probabilidade de náuseas ou vômitos. Não houve benefício adicional de 800 mg de ibuprofeno em comparação com 400 mg. Infelizmente, o estudo não investigou o efeito posterior, possivelmente por causa do efeito placebo, de um analgésico injetável. Esses resultados são semelhantes aos de estudos anteriores com opioides e diferentes doses de ibuprofeno. (Nível de evidência = 1b)

Alertas

Contexto

Esses pesquisadores inscreveram 600 adultos, principalmente latinos, que se apresentaram a 2 pronto-atendimentos com entorse, distensão, fratura ou outra dor musculoesquelética nas extremidades. Em outras palavras, sem dor nas costas. Os pacientes foram designados aleatoriamente, usando alocação oculta, para receber uma dose única de 1 das 5 combinações de analgésicos: 1000 mg de paracetamol com 400 mg ou 800 mg de ibuprofeno, paracetamol 300 mg com 30 mg de codeína, acetaminofeno 300 mg com 5 mg de hidrocodona ou 325 mg de acetaminofeno com oxicodona 5 mg. Os escores de dor antes do tratamento eram principalmente de 8 a 10 em uma escala de 0 a 10 (sendo 10 a pior dor). Os escores de dor caíram em média 3 pontos em cada grupo 60 minutos após a dose da medicação, sem diferença estatística entre eles. Em 2 horas, a diminuição da linha de base foi em média 4,3 a 4,7 pontos, sem diferenças significativas entre os grupos. Uma porcentagem semelhante de pacientes em cada grupo (aproximadamente 24%) recebeu medicação para dor de resgate nas primeiras 2 horas. A probabilidade de náuseas ou vômitos foi significativamente maior entre os pacientes que receberam um analgésico opioide (6,7% contra 1,7%; diferença de 5,0%; Intervalo de confiança de 95%: 1,7% a 8,2%), com um paciente adicional apresentando esses efeitos colaterais para cada 20 pacientes tratados com um opioide (número necessário para o dano = 20; IC 95% 12 – 59). O estudo teve o poder de detectar uma diferença de 1,3 pontos entre os tratamentos, se houver.

Comentários sobre a aplicabilidade do estudo para APS no contexto do SUS, sob o ponto de vista clínico, de gestão da saúde e para o público em geral

A dor musculoesquelética de extremidades é queixa frequente em Atenção Primária, como atendimentos de urgência. Este estudo proporcionou o conhecimento de que analgésicos comuns, como paracetamol e ibuprofeno são efetivos na redução desta queixa, com menos efeitos adversos em comparação aos opioides. O estudo não incluiu informações sobre a dipirona, mas esta é uma importante alternativa no tratamento da dor em geral, incluindo as musculoesqueléticas, inclusive por possuir via injetável de ação mais rápida.

Referências bibliográficas

Bijur PE, Friedman BW, Irizarry E, Chang AK, Gallagher EJ. A randomized trial comparing the efficacy of five oral analgesics for treatment of acute musculoskeletal extremity pain in the emergency department. Ann Emerg Med 2021;77(3):345-356. Disponível em: https://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S0196-0644(20)31265-8