Quão precisos são os testes rápidos de antígeno para COVID-19 em pacientes assintomáticos e sintomáticos?

Área Temática

Questão Clínica

Quão precisos são os testes rápidos de antígeno para COVID-19 em pacientes assintomáticos e sintomáticos?

Resposta Baseada em Evidência

Um teste rápido de antígeno (Sofia FIA de Quidel) foi altamente específico, mas a sensibilidade foi de 80% em pacientes sintomáticos e apenas 40% em pacientes assintomáticos. Nos pacientes assintomáticos, devido à baixa prevalência nesta amostra (2%), houve também uma alta taxa de falsos positivos de 67%. (Nível de evidência = 1b)

Alertas

Contexto

Os autores identificaram 1.098 esfregaços nasais de concha média pareados em 2 universidades em Wisconsin entre 28 de setembro de 2020 e 9 de outubro de 2020; 871 eram de participantes assintomáticos e 227 sintomáticos. A grande maioria das amostras eram de alunos, embora alguns funcionários e professores mais velhos também participaram (intervalo = 17 a 64 anos). Cada participante teve um esfregaço testado usando a cadeia de polimerase de transcrição reversa em tempo real reação (rt-PCR), o padrão ouro e um esfregaço testado usando o Sofia SARS Antigen Fluorescent Immunoassay (Quidel Corp.). Um total de 2% dos esfregaços de participantes assintomáticos foram positivos para PCR, em comparação com 18% de participantes sintomáticos. A especificidade foi quase idêntica para os 2 grupos (98,4% para assintomáticos e 98,9% para sintomático), mas a sensibilidade foi muito menor para pessoas assintomáticas (41% vs 80%). Dos 21 testes rápidos de antígenos positivos em pessoas assintomáticas (n=871 [79% do total da amostra]), 14 resultados foram falsos positivos com base na PCR (taxa de falsos positivos 67%), por isso é importante confirmar um teste rápido de antígeno positivo com PCR em pacientes assintomáticos. Na população sintomática (n=227 [21% do total da amostra]), os valores preditivos positivos e negativos foram de 94% e 96%, respectivamente.

Comentários sobre a aplicabilidade do estudo para APS no contexto do SUS, sob o ponto de vista clínico, de gestão da saúde e para o público em geral

Para compensar a precisão reduzida do teste de antígeno, o teste de confirmação com um teste de amplificação de ácido nucleico (por exemplo, RT-PCR) deve ser considerado após resultados de teste de antígeno negativos em pessoas sintomáticas e resultados de teste de antígeno positivos em pessoas assintomáticas.

Referências bibliográficas

Pray IW, Ford L, Cole D, et al, for the CDC COVID-19 Surge Laboratory Group. Performance of an antigen-based test for asymptomatic and symptomatic SARS-CoV-2 testing at two university campuses – Wisconsin, September-October 2020. MMWR Morb Mortal Wkly Rep 2021;69(51-52):1642–1647. Disponível em: https://www.cdc.gov/mmwr/volumes/69/wr/mm695152a3.htm?s_cid=mm695152a3_w