Tratamento intensivo causa danos em pacientes idosos com diabetes tipo 2

Área Temática

Questão Clínica

Quais são os riscos do tratamento intensivo em pacientes de 70 anos ou mais com diabetes tipo 2?

Resposta Baseada em Evidência

Utilizar sulfonilureias e/ou insulina para manter níveis de HbA1c abaixo de 7% aumenta o risco de internação por hipoglicemia grave, e não há impacto claro do tratamento intensivo na mortalidade geral e cardiovascular.

Alertas

Contexto

Este estudo se baseia numa coorte de 6.288 idosos com 70 anos ou mais e diagnóstico de diabetes mellitus tipo 2 (4 anos em média de diagnóstico), cujas informações clínicas foram extraídas de um banco de dados gerados pela atenção primária do Reino Unido. O grupo exposto incluiu idosos diabéticos que tiveram pelo menos 3 resultados de HbA1c < 7% consecutivos e uso concomitante de sulfonilureia e/ou insulina, que foram pareados por sexo, idade e características do diabetes a um grupo de não expostos, em uma escala de até 3:1. Pacientes com tratamento intensivo tinham probabilidade 2,5 vezes maior de serem hospitalizados por hipoglicemia grave quando comparados aos pacientes do grupo controle, embora as taxas de mortalidade geral, que eram altas nesta faixa etária, não fossem 2diferentes entre os grupos. Ao longo dos 10 anos de acompanhamento, quase 14% dos pacientes com 70 anos ou mais foram hospitalizados por hipoglicemia grave. Os autores realizaram várias análises suplementares. Restringindo as análises a pessoas que usavam insulina e/ou sulfonilureia, as pessoas com HbA1c < 7% não estavam em risco aumentado de internação por hipoglicemia grave (na verdade, o risco pareceu ser 29% menor!). Por outro lado, restringindo as análises a pessoas com HbA1c < 7%, as pessoas que usavam insulina e/ou sulfonilureia estavam em risco aumentado de internação por hipoglicemia grave (cinco vezes o risco de quem não usava), além de um risco 15% maior de morte por doença cardiovascular, e 27% maior de morte por doença não cardiovascular.

Comentários sobre a aplicabilidade do estudo para APS no contexto do SUS, sob o ponto de vista clínico, de gestão da saúde e para o público em geral

Essa coorte confirma outros estudos que identificaram risco elevado de hospitalização por hipoglicemia grave em pacientes idosos com diabetes tratados principalmente com sulfonilureia e/ou insulina. O melhor preditor para complicações parece ser a utilização desses medicamentos, e não o alvo de HbA1c. Cabe dessa forma aos profissionais da atenção primária um cuidado particular com a conduta medicamentosa em idosos com diabéticos. Infelizmente o rol de opções de hipoglicemiantes orais em grande parte das unidades básicas de saúde é restrito à metformina e sulfonilureia. Também devemos estar alertas ao tratamento excessivo de idosos frágeis, como aqueles institucionalizados ou com graves comorbidades, como no caso de demências.

Referências bibliográficas

Ling S, Zaccardi F, Lawson C, Seidu SI, Davies MJ, Khunti K. Glucose control, sulfonylureas, and insulin treatment in elderly people with type 2 diabetes and risk of severe hypoglycemia and death: an observational study. Diabetes Care 2021;44(4):915-924. Disponível em: https://care.diabetesjournals.org/content/44/4/915.long