Quais são as contraindicações para realizar vacina contra febre amarela?

São contraindicações para realização da vacina contra febre amarela:
– Crianças menores de 6 meses de idade.
– Pacientes com imunodepressão de qualquer natureza. Pacientes infectados pelo HIV com imunossupressão grave, com a contagem de células CD4 <200 células/mm3 ou menor de 15% do total de linfócitos para crianças menores de 6 anos.
– Pacientes em tratamento com drogas imunossupressoras (corticosteroides, quimioterapia, radioterapia, imunomoduladores).
– Pacientes submetidos a transplante de órgãos.
– Pacientes com imunodeficiência primária.
– Pacientes com neoplasia.
– Pacientes com história pregressa de doenças do timo (miastenia gravis, timoma, casos de ausência de timo ou remoção cirúrgica).
– Indivíduos com história de reação anafilática relacionada a substâncias presentes na vacina (ovo de galinha e seus derivados, gelatina bovina ou outras).

Precauções gerais quanto à vacinação contra febre amarela: Nos casos de doenças agudas febris, moderadas ou graves, recomenda-se adiar a vacinação até a resolução do quadro com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença. Primovacinação de indivíduos com 60 anos e mais. Gestantes. Deverão ser vacinadas aquelas que residem em locais próximos onde ocorreu a confirmação de circulação do vírus (epizootias, casos humanos e vetores). As demais deverão ser avaliadas pelo serviço de saúde, considerando-se o risco versus benefício da vacinação. Nutrizes ou lactantes. Deverão ser vacinadas aquelas que residem em locais próximos onde ocorreu a confirmação de circulação do vírus (epizootias, casos humanos e vetores). Deve-se apresentar à mãe opções para evitar o risco de transmissão do vírus vacinal pelo aleitamento materno, tais como: previamente a vacinação, praticar a ordenha do leite e manter congelado por 28 dias, em freezer ou congelador, para planejamento de uso durante o período da viremia, ou seja, por 28 dias ou, pelo menos por 15 dias após a vacinação. Caso a ordenha não seja possível, encaminhar a mãe à rede de banco de leite humano. Nas demais, a vacinação deve ser evitada, ou postergada até a criança completar 6 meses de idade. Indivíduos infectados pelo HIV, assintomáticos e com imunossupressão 2 moderada, de acordo com a contagem de células CD4. Indivíduos com lúpus eritematoso sistêmico ou com outras doenças de etiologia potencialmente autoimune, deve ser avaliada caso a caso, tendo em vista a possibilidade de imunossupressão. Pacientes transplantados de células tronco hematopoiéticas (medula óssea) devem ser avaliados caso a caso, considerando o risco epidemiológico. Caso se decida pela vacinação, deve ser respeitado o prazo mínimo de 24 meses após o transplante. Pacientes que tenham desencadeado doença neurológica de natureza desmielinizante (Síndrome de Guillain -Barré, Encefalomielite disseminada aguda e esclerose múltipla) no período de seis semanas após a aplicação de dose anterior da vacina contra febre amarela. Tal recomendação baseia -se em dados de literatura para a vacina influenza . SOF relacionadas:
  1. A vacina contra febre amarela pode ser administrada juntamente com outras vacinas?
  2. O que mudou na vacinação contra febre amarela?
  3. Quanto tempo após o parto as puérperas podem ser vacinadas contra a febre amarela?
  4. Existe contraindicação para a vacinação contra a febre amarela em pessoas acima de 60 anos?
  5. Quais são as orientações referentes à Febre Amarela podem ser repassadas, pelos profissionais de saúde, às comunidades que não possuem indicação para vacinação?